quinta-feira, 24 de março de 2011

Procurei no Vão
sabendo que era
mas o que mais
havia de se fazer?

Não procurar?
Como seria uma vida sem busca?
Repare como tem sinais de interrogação
Persegem-me sem cessar
São eterna labuta

Injuriada fico
Reclamo e declino
Um pouco mais de tempo perdido
Gritos no vácuo

Sem explicação, tranquilizo-me
e talvez seja isto
que me agoniza
Mistérios!
Não saber controlar meus sentidos

Também não sei se quero
Por não ter, acabo por querer
mas não é

É o pavor do entendimento!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Cansei de tantas coisas, agora resolvi mudar.

Não quero reclamar da vida, o que adianta?
Não quero mais conversinhas de oi e tchau;
Não quero comer para ficar feliz;
Não quero a inércia;
Não quero me preocupar com quem não conheço;
Não quero ter que falar (tanto faz se me entendem);
Não quero não querer amar;
Não quero agredir quem me faz mal;
Não quero ser dramática;
Não quero ser a dona da razão;
Não quero ler Nietzsche;
Não quero guardar tudo para mim;
Não quero falar sempre sozinha;
Não quero meu quarto bagunçado;
Não quero ter medo de coisas inofensivas;
Não quero segundas intenções;
Não quero precisar de alguém;
Não quero dispensar ajuda;
Não quero segurar coisas livres e passageiras e
Não quero ...