domingo, 5 de junho de 2011



Não quero dizer o quanto você me enjoa
Você me deixa zangada
Você me faz sumir
Como fumaça EnQuaDraDa
na sua forma

Não quero te seguir
Mas fico sem caminhos
Acho que estou perdida
Ou tenho medo de me perder
Neste pálido embaraço

Pois você vai embora
e não quero saber se há pegadas
Eu tenho construído uma rua
Com um grande sol e cerejeiras

Por que você leva tudo consigo?
Deixando tchaus gelados
e transtornos frívolos?

Leva o chão e o ar
E eu vomito meus sentimentos
Porque você me deixa enjoada

E Eu construo um outro mundo
Porque você deixou o meu sem graça