quinta-feira, 30 de maio de 2013



Quero sair de mim
E me perder no mundo
Lembrar que sou tudo
Deixar fluir!

sou até não existir mais
o buraco negro
o buraco cinza cerebral
surreal, marginal, anormal

comida de tempo
devoradora de momento
pose de segundos
Arte fractal!!!

Sou até deus, se duvidar
ou Oxalá, para os do congá
e nem tento me definir
as vezes penso que nem existo.